quarta-feira, 19 de julho de 2017

Na guerra por dissidentes do PSB, líder do partido diz a aliados que Temer acenou com ajuda a ruralistas na Receita Federal

Poucas horas depois de estar com o presidente Michel Temer, a líder do PSB, deputada Tereza Cristina, esteve em audiência com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.
 
Segundo apurou o blog, a deputada, produtora rural em Mato Grosso do Sul, comemorou junto a colegas o apoio de Temer a reclamações dela quanto à Receita Federal, que tem se negado a mudar entendimentos regulatórios que beneficiariam a  bancada ruralista. 

O blog não conseguiu detalhes sobre que mudanças seriam essas, mas apurou que o presidente teria prometido intervir. 

O presidente Temer esteve na casa da líder do PSB na manhã desta terça-feira (18), em encontro fora da agenda, a fim de tentar evitar que dissidentes do PSB aceitem convite para ingressar no DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. 

A promessa de ajuda de Temer na Receita aconteceu em meio à negociação para que o grupo da Tereza Cristina vá para o PMDB e não para o DEM. 

A deputada foi vista por uma fonte do blog entrando na Receita, que confirmou o encontro entre ela e o secretário Jorge Rachid.

Questionada sobre o assunto do encontro com a deputada, a assessoria de Jorge Rachid disse: "Não temos informação sobre o encontro entre o secretário e a deputada. É o posicionamento". 

A reportagem telefonou para a deputada Tereza Cristina e não obteve resposta até a última atualização deste texto.

 De acordo com a Secretaria de Comunicação Social (Secom), Temer negou ter ouvido pedidos sobre a Receita.
 Mas o blog voltou a consultar as fontes, que mantiveram a informação. Temer fez uma nova revelação: a de que houve pedidos em relação ao Ministério da Agricultura, sem revelar quais. 

Leia a íntegra da resposta da Secom:

A líder do PSB, Teresa Cristina, levou pleitos ao presidente.

Ele pediu que ela formalize uma consulta a ser feita ao Ministério da Agricultura para que o tema seja debatido internamente no governo. Não houve pedido ao presidente para audiência na Receita Federal.

Secom