quarta-feira, 12 de julho de 2017

Liliane Araújo vai recorrer de decisão do TRE-AM que indeferiu sua candidatura

Postulante ao cargo de governadora na eleição-tampão, a jornalista Liliane Araújo (PPS) afirmou, em coletiva a imprensa, que vai recorrer no prazo de 72 horas da decisão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) que indeferiu, por unanimidade, seu registro de candidatura na eleição suplementar para governador do Estado.

 Ela não descarta a possibilidade de recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), se necessário, para reverter a decisão da Corte Eleitoral do Amazonas.
"Toda e qualquer pessoa tem direto a ampla defesa e dentro de 72h, no máximo, iremos apresentar recurso para reverter essa decisão do Pleno do TRE. E quero deixar aqui um recado para aqueles que estão tentando derrubar a nossa candidatura, que não vão conseguir. Sabemos que existem forças atuando nos bastidores para inviabilizar a minha candidatura, mas campanhas não se fazem com conchavo e a população já entendeu que é hora de mudança, de renovação", declarou Liliane.
Em entrevista coletiva na sede do PPS, localizado na Rua Rio Jutaí, n° 738, conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, a candidata disse que qualquer diferente partidário que tem acesso aos dados de filiados de siglas partidárias pode pesquisar no FiliaWEB e confirmar que a candidata esta filiada no PPS desde 25 de novembro de 2016.
A jornalista, lançada pelo PPS em uma chapa puro-sangue com o Cabo Lobo, aparece no sistema eleitoral sem qualquer filiação partidária, o que a impede de ser candidata. Antes de ir para o PPS, ela era filiada ao PR, partido pelo qual se candidatou a vereadora nas últimas eleições municipais, sem êxito. Antes, ela já havia sido candidata a deputada estadual pelo próprio PPS em 2014.
Apesar de Liliane ter sua candidatura indeferida, o pedido do vice dela, Cabo Lobo, foi deferido, assim como o do PPS, uma vez que a chapa é "puro-sangue", sem outros partidos aliados.

"Nós não vamos estacionar as nossas atividades de campanha. Estarei nas ruas, caminhando, falando com a população, que é o que todo candidato deveria fazer. O meu jurídico já esta cuidando da confecção desse recurso e ficando pronto protocolamos ele pelo site do TRE. Essa foi uma decisão em primeira instância, e vamos recorrer a primeira instância, que é o TRE, mas quero aqui deixar claro que não descartamos recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral", concluiu.