quarta-feira, 5 de julho de 2017

Com ‘mãos de ferro’, juiz amazonense é agente importante nas decisões contra corrupção

O juiz da 10ª Vara Federal, em Brasília, Vallisney Oliveira, decretou a prisão do ex-deputado e ex-ministro nas gestões de Lula e Temer, Geddel Vieira Lima. Ele foi detido pela Polícia Federal, na Bahia, em processo referentes à operação Cui Bono, que investiga a liberação de créditos de forma suspeita durante sua passagem pela vice-presidência de pessoa jurídica da Caixa Econômica Federal, entre 2011 e 2013.


O ex-deputado Eduardo Cunha também faria parte do esquema. Ao todo, cerca de R$ 1,2 bilhão teriam sido concedidos em empréstimos. Em troca, ambos recebiam propinas para viabilizar as negociações. Vieira Lima é suspeito de tentar calar Cunha e o doleiro Lúcio Funaro, evitando que eles delatassem detalhes do esquema para os investigadores da Polícia Federal.
Responsável pela ordem que levou Geddel à prisão, Vallisney Oliveira é o responsável por processos famosos em operações de grande repercussão, como Zelotes, Greenfield e Métis.
Amazonense da fronteira

O clamor popular por uma política limpa faz com que a esperança de milhões de brasileiros se renove a cada prisão de um político ou grande figura do meio empresarial. Mesmo com suas falhas, que muitas vezes partem de leis brandas e evasivas, é notório o esforço realizado nos últimos anos por integrantes dos meios policial e judiciário, para resgatar a sensação de Justiça na sociedade.
A operação Lava Jato se tornou a principal referência nessa constante batalha. Mas se o juiz federal de Curitiba, Sérgio Moro, se tornou o ícone da luta contra a corrupção, Vallisney Oliveira também não fica atrás.
Nascido em Benjamin Constant, no Amazonas, o magistrado tem “abalado as estruturas” do poder, arrancando declarações fortes de gente como o senador Renan Calheiros, presidente do Senado, que o chamou de “juizeco” por decretar a prisão de policiais legislativos que atrapalhavam as investigações da Lava Jato. Na ocasião, houve também a apreensão de equipamentos de varredura de escutas ambientais. A ministra do Superior Tribunal Federal, Carmem Lúcia, foi uma das pessoas que intercedeu em seu favor.

Nas mãos de Valisney tramitam processos importantes, como o do ex-presidente Lula e de Marcelo Odebrecht, um dos principais delatores na Lava Jato.