segunda-feira, 19 de junho de 2017

'Assustador e devastador', diz médico de MG que filmou tragédia em Portugal junto com a família

Assustador e devastador". É o que disse o médico de Uberlândia, Márcio Queiroz Marques, ao relembrar a cena que viu do fogo tomando uma floresta em Portugal. Ele está de férias com a família no país e, juntamente com a esposa, presenciou as chamas se alastrando entre árvores e rodovias. Pelo menos 62 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridos.
O casal filmou o momento em que o fogo atingiu uma das rodovias da região. Eles seguiam de Fátima para Proença-a-Nova quando foram impedidos de passar pela estrada. “Estávamos na região de Figueiró dos Vinhos e a uns 20 km do fogo enxergamos uma fumaça enorme no céu”, contou.

As imagens acima mostram quando a família foi orientada pela polícia a retornar e não seguir viagem pela mesma estrada. “Estávamos na mesma rodovia onde várias pessoas morreram dentro dos carros. Pegamos a pista no sentido contrário, mas infelizmente muita gente foi para o outro lado”, explicou Márcio.
Liliam Vinhal Queiroz contou  que está em Portugal desde o dia 4 de junho em férias com a família. “Na hora que vi as chamas falei: precisamos voltar. Ontem fiquei o dia todo pensando que se tivéssemos tomado o sentido contrário, poderia ter sido uma tragédia”, lembrou.

Corpos carbonizados

O incêndio em grandes proporções teve início na tarde de sábado (7). As chamas se espalham a partir de quatro focos pela região próxima a Coimbra e entre as duas maiores cidades portuguesas: Lisboa e Porto.
Mais da metade das vítimas morreram carbonizadas dentro dos carros na estrada entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra. O número de focos foi reduzido para 35 no domingo (18) à noite em todo o país, mas os recursos mobilizados continuavam sendo praticamente os mesmos. Quatro aviões de combate ao incêndio da Espanha e três da França chegaram para ajudar os bombeiros portugueses.

O balanço oficial mais recente é de 62 mortos e 62 feridos, incluindo cinco em estado grave, uma criança e quatro bombeiros. As autoridades, no entanto, não descartam a possibilidade de encontrar outras vítimas nas áreas devastadas pelas chamas.