quarta-feira, 10 de maio de 2017

Susam amplia vagas para atender doentes renais e reduz fila de espera

Cento e vinte novas vagas estão sendo ofertadas pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para pacientes renais que necessitam de hemodiálise por meio da ampliação de contratos com as clínicas já conveniadas na rede pública.

Com isso a fila de espera para tratamento foi reduzida em 77%, neste mês. O impacto da redução também auxilia na liberação de leitos em unidades de pronto atendimento e ambulatórios.

A titular da pasta, Mercedes Gomes, explicou que a porta de entrada na rede de saúde para pacientes que necessitam de hemodiálise são os Hospitais de Pronto Socorro (HPS). “Os pacientes que necessitam aguardam internados a vaga para não ficarem sem o tratamento. Por isso a redução da fila, reflete também em leitos liberados”,  esclareceu Mercedes.

No final do mês de abril, 180 pacientes aguardavam vagas para tratamento de hemodiálise. Com a ampliação dos contratos, esse número foi reduzido para 60 pessoas e, de acordo com a estimativa da Susam, até o final de junho a fila será totalmente zerada. “Estamos aguardando a ampliação de outros contratos e a finalização das obras do novo Centro de Nefrologia da Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) que atenderá todos que necessitam deste tratamento especializado”, declarou a secretaria.

Para as obras foram destinados recursos do Fundo de Promoção Social (FPS). O novo Centro de Nefrologia da FHAJ irá absorver boa parte da demanda de pacientes renais do estado, colaborando para que a fila de espera mantenha-se sempre zerada ou baixa, conforme expectativa da Susam.

Procure ajuda - As perdas das funções renais são silenciosas e facilmente confundidas com outras doenças. Entre os principais sintomas a diminuição da produção de urina, retenção de líquidos, causando inchaço nas pernas, tornozelos ou pés, sonolência, falta de fome, falta de ar, fadiga, confusão,  náusea e vômitos, fazem com que pacientes procurem os HPSs. Pessoas com hipertensão e diabetes devem ficar mais atentas a esses sintomas e procurar imediatamente o médico.

Em caso de parada total do funcionamento dos rins, a  hemodiálise é necessária.  Ela é um procedimento realizado para limpar e filtrar o sangue, através de equipamento próprio. “Após iniciar o tratamento, o paciente necessita realizar de 2 a 3 vezes por semana o atendimento até o final de sua vida. Por isso há necessidade constante de ampliação das vagas”, explicou a assessora da área de Nefrologia para a capital, Simome Saraiva, lembrando que a melhoria completa do paciente se dá apenas por meio do transplante dos rins.


Atualmente, dentro da rede de saúde pública,  duas unidades oferecem o serviço continuado. A FHAJ e o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), além dos HPS que realizam o procedimento nos pacientes internados.  Outras vagas para pacientes renais são através de convênios da Susam com unidades particulares.