terça-feira, 23 de maio de 2017

'feirão' da Caixa com 2 mil imóveis em Junho

Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal, em Manaus, deve ofertar mais de 2 mil unidades no final de junho.

Mesmo fora do calendário oficial do banco, o evento deve acontecer na cidade com a parceria da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon). A expectativa é atingir R$ 200 milhões em vendas nos três dias de evento.
De acordo com o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Romero Reis, o feirão ainda está sendo organizado. “Ainda não foi divulgado oficialmente, mas o feirão já se tornou tradição na capital amazonense e é muito bom tanto para o consumidor, como para as construtoras”, disse Reis.
Apesar de ainda não estar oficializado, as empresas já estão se organizando para ofertar o máximo de imóveis e alcançar mais de 20 mil consumidores. “Nossa expectativa é que desses 20 mil que visitam a feira, pelo menos 10 mil sentem na mesa de negociação”, disse o superintendente da Ademi, Valmir Franco, adiantando que a projeção é de que, pelo menos, 500 imóveis sejam comercializados.
A oferta de imóveis vai abranger  todos o tipos de unidades, na planta, em construção e entregue. 
O Feirão da Caixa é um dos eventos imobiliários mais importantes do País e acontece, simultaneamente, em diversas capitais brasileiras. Durante o evento, os clientes têm condições especiais de financiamento para adquirir a casa própria. No local também é possível simular a compra de um imóvel, a aquisição de um consórcio imobiliário ou imóveis na planta, além de conhecer as novidades do mercado.

Orientações
Os interessados em adquirir imóvel no evento deve ficar atento as documentações necessárias para fechar negócio na feira. O banco orienta o cliente a verificar o saldo da conta de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o quanto pode ser utilizado na operação de compra.
Reunir documentos como o extrato da conta vinculada do FGTS e a carteira de trabalho para comprovar o tempo de trabalho sob o regime do FGTS. Se você é trabalhador avulso, é preciso apresentar a declaração do órgão gestor da mão de obra ou do sindicato.

É necessário ter, no mínimo, três anos de trabalho sob o regime do FGTS, mesmo que em períodos ou empresas diferentes é uma das exigências para o financiamento, além de não possuir financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer parte do País.