terça-feira, 2 de maio de 2017

Ajoelhou, rezou e depois foi assassinado

Um detento até o momento não identificado, de aproximadamente 25 anos, foi encontrado morto, com uma perfuração de tiro na cabeça, na rua H10, conjunto Águas Claras, bairro Novo Aleixo, Zona Norte.

Antes de executar a vítima os assassinos mandaram o detento ajoelhar e rezar. De acordo com o aspirante Rodrigo Barros, da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os moradores do bairro avistaram um veículo não identificado se aproximando do matagal. Em seguida, eles avistaram os homens levando o detento, que usava uma tornozeleira eletrônica, para dentro da área verde, onde a vítima se ajoelhou e foi executada com um tiro na nuca. Após o crime, os suspeitos fugiram no veículo sem serem identificados.
“Aqui é um local sem grande movimentação e não há câmeras de segurança para ajudar na identificação dos atiradores. A vítima possivelmente é um detento, pois era monitorado, mas não tem identificação. Ele possui várias tatuagens no braço e perna”, informou o aspirante.
O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) e o caso foi registrado na Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS).

Ana Sena