quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pedreiro é preso acusado de estuprar e transmitir HIV à sobrinha de 11 anos. Vítima perdoa tio em carta

Manaus- Um ajudante de pedreiro de 37 anos foi preso suspeito de ter estuprado e transmitido HIV à sobrinha de 11 anos, em Manaus.

A vítima se encontra internada em estado grave. De acordo com laudo do Instituto Médico Legal (IML), o abuso sexual teria ocorrido diversas vezes. O infrator foi detido na e encaminhado ao Centro de Detenção Provisório Masculino (CDPM).

As informações são da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). De acordo com a delegada Juliana Tuma, a denúncia contra o homem aconteceu após a internação da criança na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). 

A equipe da Depca recebeu uma notificação compulsória da unidade hospitalar a respeito de um possível estupro e passou a investigar o caso. No hospital os pais da criança foram submetidos ao exame de Aids. Entretanto, os resultados não deram reagente para a doença. “Foi quando descartamos a possibilidade de ser uma situação congênita. A criança também não nasceu com essa síndrome, sendo adquirida, possivelmente, por meio de abuso sexual, posteriormente atestado pelo IML”, informou a delegada. A vítima recebeu visita de uma perita do IML e passou por um exame de corpo e delito. 

O procedimento teria atestado abuso sexual crônico. Após uma avaliação psicológica, foi descoberto ainda que o estupro aconteceu em mais de uma oportunidade. A partir da constatação do abuso, uma equipe multidisciplinar da Depca realizou acompanhamento psicossocial com a criança. Durante esse trabalho, a vítima pediu pra fazer uma carta para o autor do delito dizendo que o perdoava. “A criança não soube mencionar quando os abusos começaram. 

A equipe multidisciplinar acompanhou a vítima por algumas vezes para estabelecer uma relação de confiança. Então, em determinado momento, ela disse que queria escrever uma carta. Depois de chorar muito, ela escreveu que perdoava o tio por ele ter feito aquilo com ela, inclusive por ele ter pedido para ela não gritar”, disse Juliana Tuma. A criança segue internada em estado grave. Ela apresenta um caso severo de tuberculose, adquirida em decorrência da Aids. 

Durante a apresentação do suspeito nesta quarta-feira (19), a Depca afirmou que o acusado sabia que portava a doença. O homem será indiciado por estupro de vulnerável. Ao término dos procedimentos cabíveis ele será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde permanecerá à disposição da Justiça.