sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Detran-AM registra aumento de 40% nos flagrantes de 'racha' em janeiro de 2017

As multas para motoristas flagrados participando ou promovendo corridas e "rachas" estão dez vezes mais caras. Mesmo colocando em risco a vida de todos que fazem parte do trânsito, motoristas amazonenses ainda insistem nessa prática.
Somente no mês de janeiro, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) autuou quase 134 motoristas disputando "racha" em Manaus, um número que supera em mais 40% o registrado no ano passado, quando 94 motoristas foram atuados por essa infração.

Como a maioria dos flagrantes é feita após recebimento de denúncia, o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, pede ao cidadão manauense que denuncie. “O Detran possui vários canais de comunicação com a população através das mídias sociais, como Facebook, Twitter, Instagran e temos também o nosso número de WhatsApp (99146-9863). A população pode e deve denunciar essas ações criminosas”, enfatizou Leonel.

Mudanças no CTB - As mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) da Lei 12.971 passaram a valer em novembro do ano passado com a alteração de 11 artigos. Além do pagamento de multa no valor de R$ 1.915,40, o condutor tem automaticamente o direito de dirigir suspenso.

Além da pratica do "racha", pelo menos metade dos motoristas autuados durante as blitze realizadas pelo Detran-AM não possuem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e muitos dos veículos usados são roubados ou clonados. 

Fuga e acidente - E os riscos para quem insiste na praticar dessas disputas são muitos. Em uma das blitze realizada na semana passada, sete motoristas foram flagrados realizando manobras perigosas e "racha" na avenida Torquato Tapajós, zona norte de Manaus. Um dos condutores tentou fugir furando o bloqueio montado pelos agentes de trânsito. Ele conduzia o veículo Honda/Civic LX, azul, placa JWU 9207, que pegou fogo após bater em poste de energia elétrica.

O condutor identificado como Júlio César Muller não sofreu ferimentos graves, ele foi encaminhado a 12° Delegacia Integrada de Policia (DIP) e autuado por direção perigosa colando em risco a vida de outros no trânsito. 

Intensificação das blitze - Para o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, mesmo com as fiscalizações acontecendo diariamente esse tipo de infração ainda é muito corriqueira, mas o gestor promete intensificar ainda mais as operações com intuito de inibir o ato.

“Recebemos muitas reclamações da população da atuação dessas pessoas que realizam ‘pegas’ nas ruas da cidade, vamos trabalhar ainda mais para extinguir essa prática das nossas ruas”, afirmou Leonel Feitoza.

Autuações e multas - Os motoristas flagrados fazendo ultrapassagem perigosa terão que desembolsar R$ 1.915,40, o valor da multa para essas infrações. A pena para quem for pego participando de “racha” pode chegar a três anos detenção. Se a prática resultar em lesão corporal grave ou morte, a pena poderá ser de reclusão, que inclui o regime fechado. A sentença prevista é de três a seis anos de reclusão no caso de lesão corporal e de 5 a 10 anos no caso de morte.

Além do valor da multa, o motorista sofre penalidades administrativas, como a suspensão do direito de dirigir, independentemente de se alcançar 20 pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Em todas essas infrações, o condutor flagrado reincidindo nos 12 meses seguintes, terá a multa dobrada, alcançando o valor de R$ 3.830,80.

Outras infrações - Durante a semana, o órgão tem realizado operações pela manhã, tarde e noite, em pontos estratégicos da capital amazonense. No período de uma semana, 402 condutores foram notificados por infrações no trânsito. 

As infrações continuam sendo referentes a conduzir veículo sem estar licenciado, conduzir sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e sem Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), documento de porte obrigatório. Também é comum o condutor de motocicleta ser pego pilotando sem o capacete ou com calçado inadequado. Ao todo, 51 veículos, sendo 22 carros e 29 motos foram apreendidos durante a operação.

Além disso, 30 motoristas foram autuados por dirigirem sob efeito de álcool. Desde o início do ano, 152 motoristas foram flagrados dirigindo alcoolizados durante as operações da Lei Seca em Manaus. De acordo com Leonel Feitoza, o condutor que recusar passar pelo bafômetro, ou qualquer exame que detecte a influência de álcool ou drogas irá pagar multa de R$ 2.934,70, terá a carteira de habilitação suspensa por 12 meses e o veículo retido.

Apesar do grande número de pessoas flagradas dirigindo bêbadas, as blitze ajudam a reduzir acidentes e contribuem para um trânsito mais seguro. "À medida que o condutor começa a assimilar a presença do Detran nas ruas, vigilante, ele passa a adotar uma conduta mais consciente a respeito das leis de trânsito. Isso resulta não só na redução de acidentes, como também em um trânsito mais cidadão", explica Leonel Feitoza.