segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Preso em Coari professor de Ensino Fundamental denunciado por pedofilia

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Coari, município distante 363 quilômetros em linha reta de Manaus, sob o comando do delegado titular da unidade policial, Mauro Duarte, prendeu em flagrante, na manhã desta segunda-feira, dia 16, por volta das 10h, um professor de 52 anos que lecionava para alunos do Ensino Fundamental, denunciado por pedofilia. O homem foi interceptado em frente ao Auditório Silvério José Nery, localizado na estrada Coari-Mamiá, bairro União, naquele município.

             Segundo Mauro Duarte, a companheira do professor compareceu na manhã de hoje ao prédio da unidade policial e relatou que o homem teria imagens pornográficas das filhas em um pen-drive que ele costumava carregar. A mulher fez uma cópia do material ilícito e entregou aos policiais civis.

          “Assim que tomei conhecimento do caso e da gravidade da situação, demos início às diligências. O homem foi abordado no momento em que deixava o auditório. Em seguida ele foi conduzido à delegacia para prestar esclarecimentos. Durante depoimento ele confirmou a conduta ilegal e nos entregou o pen drive contendo fotografias e vídeos da filha e da enteada”, declarou Duarte.
       
        Conforme a autoridade policial, o professor confessou que registrava imagens da enteada, atualmente com 15 anos, desde quando ela tinha 13 anos. A filha, que é criança, também teve partes íntimas filmadas pelo infrator. “Em um dos vídeos o homem encosta o pênis na boca da enteada no momento em que ela dormia”, informou o delegado.  

            O professor foi preso em flagrante por possuir vídeos contendo cena pornográfica de criança e adolescente, crime previsto no Artigo 241-b do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ele também será indiciado por filmar cena pornográfica com criança e adolescente, previsto no Artigo 240 do ECA, além de ser indiciado por estupro de vulnerável, previsto no Artigo 217-A do Código Penal, uma vez que praticou ato libidinoso com menor de 14 anos.


Após os procedimentos cabíveis na unidade policial, o professor será encaminhado à Unidade Prisional de Coari, onde irá permanecer à disposição da Justiça.