quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Governo do Amazonas entrega quatro Unidades Básicas de Saúde Fluvial para municípios do interior

A saúde da população indígena e ribeirinha ganhou reforço na tarde desta quarta-feira, 23 de novembro, com a entrega de quatro Unidades Básicas de Saúde Fluvial, que vão reforçar o atendimento de comunidades afastadas em quatro municípios do interior do Estado, realizada pelo Governo Amazonas em parceria com o Ministério da Saúde.

Os municípios beneficiados foram Barreirinha, Parintins, São Grabriel da Cachoeira e Anamã. A solenidade aconteceu no Porto de São Raimundo, zona oeste da capital e contou com a presença do Ministro da Saúde, Ricardo Barros. 
“Nossa meta é reduzir a mortalidade indígena infantil, até 2019, em 20%, mas isso só será possível ampliando o acesso à saúde das comunidades indígenas mais afastadas. É isso que essas unidades fluviais vão nos proporcionar, uma vez que o interior do amazonas sofre com grandes problemas logísticos”, disse o ministro. 
O secretário de Estado de Saúde, Pedro Elias de Souza, explica que a as unidades básicas fazem parte de um projeto, apresentado pela Susam ao Ministério da Saúde, cujo objetivo maior é garantir o atendimento de saúde a toda a população ribeirinha do Amazonas. O projeto foi aprovado e o custeio para construção e equipamentos das unidades é dividido entre as três esferas de governo. 
“A saúde de toda a população é uma prioridade do governador José Melo, a quem eu represento nessa solenidade. Porém as nossas comunidades indígenas e ribeirinhas sofrem com a dificuldade ao acesso aos serviços mais básicos pela dimensão do nosso Estrado. Essa parceria com o governo federal e os municípios será um grande reforço nesses atendimentos e um passo a amais para alcançarmos a todos”, disse o secretário.  
Recursos - O investimento total das embarcações foi de R$ 12,2 milhões. O Governo do Estado do Amazonas realizou um investimento de R$ 174 mil para compra dos equipamentos para a Unidade Básica de Saúde Fluvial de Barreirinha. Assim que iniciarem as operações, as UBSF receberão custeio mensal entre R$ 80 mil e R$ 90 mil, vindo do governo federal.
Além dos municípios de Barreirinha, Anamã e Parintins, já existem outras sete unidades em funcionamento nos municípios de Borba, Manicoré, Itamarati, Tonantins, Manacapuru, Tabatinga e Humaitá.  
Serviços e atendimento - Nas UBSF são ofertados serviços de atenção básica como aplicação de vacinas, consultas médicas e odontológicas, acompanhamento de pré-natal, orientação a pacientes portadores de doenças crônicas como hipertensão e diabetes, entre outras. 
As viagens para atendimento dessas comunidades serão mensais e têm duração de 22 dias, sendo 20 dias para o atendimento aos pacientes, um dia para atividades de educação permanente e um dia para elaboração de relatórios referentes à produção. 
A equipe que fará o atendimento em cada UBSF é composta por um médico, dois enfermeiros, um cirurgião dentista, quatro técnicos de enfermagem, um auxiliar de saúde bucal, um técnico de patologia, um biomédico, um nutricionista, quatro microscopistas e oito agentes comunitários de saúde. 

A infraestrutura da unidade conta com salas de recepção e espera, imunização, coleta de material, procedimentos, farmácia, consultórios médico, odontológico e de enfermagem. Para uso da equipe na viagem há dormitórios copa, cozinha, refeitório e banheiros.